Salve a corôa do Rei Malunguinho

Culto a Malunguinho
Spread the love

Muito cultuado nos terreiros de Jurema, a egrégora dos Malunguinhos representam muito mais do que guias espirituais, mas sim toda uma história de resistência à opressão escravocrata e cultural sobre os negros.

O que é Malunguinho?

Sabe aquele(a) amigo(a) de todas as horas, para o que der e vier, que está contigo em todas as situações? No idioma Kimbundo de Angola, você pode chamar esse amigo(a) de malunguinho.

Malunguinho significa “amigo”, “parceiro”, “truta”, “companheiro”, “amigo de batalha”.

Na História

Os registros históricos remontam ao surgimento do Quilombo de Catucá, aos arredores de Recife, entre os anos de 1817 e 1818. Época em que a resistência negra não contava com Direitos Humanos (que só foi existir após a Segunda Guerra Mundial). As únicas opções aos negros eram, continuar submissos aos trabalhos forçados e sem vida própria, morrer ou, tentar fuga.

Os quilombos eram os locais de aglomerações de negros fugidos, libertos e, assim formando mocambos que acabavam em sociedades mais organizadas, aos moldes das tribos africanas.

Quilombo
O DESENHISTA ALEMÃO ZACHARIAS WAGENER RETRATA NEGROS DANÇANDO AO SOM DE TAMBORES E INSTRUMENTOS DE CORDAS. DISPONÍVEL EM: PESAVENTO, SANDRA JATAHY. UM ENCONTRO MARCADO – E IMAGINÁRIO – ENTRE GILBERTO FREYRE E ALBERT ECKHOUT. FÊNIX: REVISTA DE HISTÓRIA E ESTUDOS CULTURAIS, V. 3, N. 2, P. 16, ABR. 2006.

O que precisa ficar claro é que os quilombos não eram só redutos de negros. Havia todo o tipo de gente, etnia e crença que precisava de liberdade para viver. Achar que os quilombos eram só de negros é mais pura limitação intelectual. Basta lembrar que as sociedades quilombolas erma produtivas, promoviam escambos com comunidades próximas e, até mesmo nas cidades grandes.

Líder dos malunguinhos, revoltas e surgimento de lendas

Sendo os quilombos uma organização de auto defesa, de liberdade e, principalmente, resistência, os malunguinhos desenvolveram suas técnicas de guerrilhas. Esse fato favoreceu uma organização social entre “amigos” (malunguinhos), numa extensa rede entre quilombos, e mocambos. Essa organização de resistência culminou no Quilombo do Catucá e, seu último líder rebelde morto foi João Batista.

Com João Batista morto e, o fim da ameaça de maiores resistências, os quilombos foram atacados sucessivamente. Nessas idas e vindas, as sociedades vítimas passaram a apelar à religiosidade para o pedido de proteção.

Não demorou para que todas as incursões de retaliações organizadas pelos malunguinhos geram mitos, eram atribuídas aos poderes sobrenaturais de seus líderes. Tal frequência ritos, associaram os Reis Malunguinhos à entidades espirituais cultuadas.

Catimbó e a Jurema

Sendo as sociedades quilombolas inseridas em territórios que eram divididos com índios, brancos católicos, permitiram a inserção da ritualística dos negros à dos índios. Há elementos da organização hierárquica religiosa dos brancos. Mas foi o Catimbó forneceu elementos para o surgimento de um culto diretamente associado a uma árvore sagrada: a Jurema.

É dentro da Jurema que Malunguinho ganha força como entidade protetora análoga aos Exus dos negros, sábio e guerreiro como os Caboclos do Catimbó e, um milagreiro feito santo dos brancos.

Egrégora dos Mestres Malunguinhos

A formação da egrégora do Mestres Malunguinhos se deu ao longo de um processo, da necessidade de proteção e amparo e, de resistência. Não demorou para que guias espirituais se apresentassem como Malunguinhos (amigos).

O caráter protetor e guerreiro dos Mestres Malunguinhos os permitiu cumprirem papéis de análogos aos Exus segundo a visão dos negros. Muitas vezes eram procurados para curas e orientações, portanto análogos aos Caboclos e, reverenciado como santos aos moldes da educação européia.

Imagem de Malunguinho
Imagem de Malunguinho para o culto

Muito além dos mitos, lendas e fatos históricos, os Malunguinhos ganharam muita força através das uniões de ritualísticas e, uma confiança a ponto de muitos terreiros e tendas de Catimbó e de Jurema terem em Malunguinho a proteção e força espiritual

Salve a Coroa dos Reis Malunguinhos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *